Postado em:
23 maio, 2014

Os mais famosos hipocondríacos da história!

Em algum momento da vida a gente acaba conhecendo um hipocondríaco. Se você não está acostumado com esse termo, fique sabendo que essas são pessoas que se definem o tempo todo como doentes, sentem sintomas de todas as doenças do mundo, caso você comente sobre elas; adoram um remedinho e nunca tomam uma corrente de ar.

Apesar de parecer engraçado, a verdade é que pessoas assim sofrem muito e acabam escravas do medo (ou da vontade, vai saber!) de ficarem doentes. E olha que isso não é um “mal” recente!

Ao longo da história, inúmeras pessoas, famosas ou não, foram declaradas como hipocondríacas. Confira os mais famosos hipocondríacos da história:

1. Charles Darwin

O pai da Teoria da Evolução era constantemente atormentado por palpitações, dores abdominais e de cabeça. Alguns acreditam que Darwin sofreu com a doença de Chagas, outros dizem que, ao longo da vida, o estudioso apresentou melhoras que não costumam ocorrer em quem é atingido por esse mal.

Apesar da falta de acordo, a verdade é que as “doenças” incentivaram as atividades de Darwin enquanto pesquisador. Há relatos de que ele chegou a afirmar que “a saúde ruim me salvou das distrações sociais e da diversão”.

2. Marcel Proust

O escritor francês tinha, de fato, uma saúde delicada. Mas conseguia criar quadros ainda piores com suas ideias mirabolantes sobre o tipo de tratamento que deveria se submeter. Cobrir sua casa toda com cortinas, por exemplo, estava entre sua vasta lista de excentricidades. Ele tinha ainda certa obsessão por toalhas úmidas.

Durante alguns anos, Proust passou dias inteiros na cama e se levantava à noite para escrever. Mas, como Darwin, sua mania por doenças foi produtiva e lhe rendeu 16 volumes da obra “Em busca do tempo perdido”.

3. Glenn Gould

O pianista era famoso em sua época pelas interpretação de obras clássicas e por sua aversão explícita ao toque. Dizem que certa vez, quando ele foi visitar um fabricante de pianos, um colega encostou em seu ombro para o cumprimentar.

Depois disso, Gould reclamou de dores no local por mais de uma semana. Ele se submeteu a exames radiológicos, tomou remédios e até cancelou uma série de shows por causa do “mal estar”.

4. Andy Warhol

O artista era obcecado por uma aparência e uma saúde perfeitas. Outro detalhe excêntrico sobre sua personalidade era a aversão que tinha a hospitais. Isso, inclusive, o fez adiar uma operação na vesícula até não aguentar mais.

E de certa forma ele até que estava certo. Apesar da cirurgia ter sido bem sucedida, o artista morreu pouco tempo depois por causa de complicações cardíacas.

Após sua forte, descobriram anotações detalhadas que ele fazia sobre seu medo de doenças.


Seja o primeiro a comentar em Os mais famosos hipocondríacos da história!

Deixe seu comentário: