20 dez, 2013

10 fascinantes e curiosas estrelas universo afora!

O Sol, embora pertença ao único sistema planetário conhecido por abrigar vida, é bastante comum – uma esfera incandescente de gás que surgiu há alguns bilhões de anos e morrerá daqui a outros tantos.

Mas existem outras pelo menos 70 sextilhões de estrelas universo afora. E como era de se esperar, existem estrelas muito mais interessantes e bizarras que a nossa.

Nota: Todas as imagens desse artigo são ilustrativas

10. Estrelas binárias com planetas duplos as orbitando

Kepler-47

Conhecemos até o momento somente quatro planetas orbitando um sistema duplo de estrelas, isto é, planetas como Tatooine são menos comuns do que você talvez tenha imaginado. Desse modo, quando os astrônomos descobriram de uma vez dois planetas orbitando um sistema binário de estrelas, a reação da comunidade científica era de choque.

Uma das estrelas do sistema Kepler-47 é aproximadamente do tamanho do Sol, e a outra três vezes menor. Um dos planetas que as orbita fica na chamada “zona habitável”, região do sistema planetário que permite a existência de água líquida na superfície de um planeta. No entanto, ele é um gigante gasoso como Júpiter.

09. Uma fria estrela morrendo mais brilhante que o Sol

La Superba

O nosso Sol, bem como a maioria das estrelas, é pouco quente. Mas elas arrefecem ainda mais para um nível pouco menos tolerável do que nadar em lava derretida. Quando isso acontece, todavia, essas estrelas se tornam muito difíceis de serem vistas da Terra.

Mas esse não é o caso de La Superba, uma gigante vermelha localizada a cerca de 710 anos-luz de distância. Com uma temperatura de apenas 2400°C, essa estrela em seu estágio final de vida é cerca de 4.400 vezes mais brilhante que o nosso Sol (grande parte do brilho é atribuído a grandes quantidades de radiação infravermelha).

08. A estrela que transformou outra estrela em diamante

A estrela que transformou outra estrela em diamante

Muitas vezes, a relação entre duas estrelas em um sistema binário é instável. Mas uma relação incomum entre PSR J1719 -1438 e seu irmão falecido PSR J1719 – 1438b foi longe demais.

1438b é uma anã branca extinta, um corpo que parece muito mais um planeta do que uma estrela. E seu assassino é sua estrela hospedeira, cuja gravidade sugou toda a sua massa, deixando para trás um núcleo de carbono e oxigênio, o que faz com que boa parte de 1438b seja semelhante a um grande diamante cósmico.

07. Uma estrela menor do que alguns planetas

Júpiter

Quando imaginamos uma estrela, longo pensamos em algo muito grande – milhões de vezes maior do que a Terra e milhares de vezes maior do que Júpiter, o maior planeta do sistema solar.

E embora nosso Sol seja um anão perto de algumas estrelas monstruosas, ele ainda é um gigante perto de outras, como OGLE-TR 122b. Essa pequena estrela é uma anã-marrom, isto é, um corpo que nunca cresceu a ponto de iniciar o processo de fusão nuclear em seu núcleo – processo que faz com que uma estrela seja ativa.

No entanto, mesmo as mais fracas anãs-marrons são grandes, mas OGLE é de fato uma exceção. A pequenina estrela é somente 16% maior do que Júpiter, o que a classifica como a menor estrela conhecida – menor até mesmo do que outros planetas já vistos em outros sistemas planetários.

06. A estrela mais massiva conhecida

Comparação do Sol e planetas

Nem sempre algo massivo significa algo grande, principalmente quando colocamos R136a1 em questão. Essa gigante azul é 265 vezes mais massiva que o nosso Sol, algo que parece violar os princípios da física.

Talvez mais inacreditável do que isso é que essa estrela tem perdido peso ao longo dos anos. Cientistas acreditam que ela chegou a ser pelo menos 320 vezes mais pesada do que o Sol.

Como era de se imaginar, essa estrela de peso não irá viver por muito tempo. Daqui a alguns milhões de anos, ela deverá explodir em uma supernova. Mas como estamos a 170.000 anos-luz de distância, não devemos ser afetados, se por aqui ainda estivermos.

05. Estrelas que roubam luas

Estrelas que roubam luas

Em nosso sistema solar, os menores planetas estão mais próximos do Sol, e todos os gigantes gasosos estão localizados na grande seção congelada de nossa vizinhança cósmica. Mas isso não é regra para muitos sistema solares.

Os chamados “Júpiteres quentes” estão muito próximos de suas estrelas – em alguns casos mais próximos do que Mercúrio está do Sol. E como se bastasse estar um forno ultra-quente, esses planetas ainda podem ser vítimas de roubo.

Planetas gigantes, como possuem uma elevada força gravitacional, tendem a acumular muitos detritos em sua órbita e ter uma grande quantidade de luas. Porém, como um Júpiter quente está perto demais de sua estrela, a força gravitacional da mesma pode confiscar todas as luas do planeta, eventualmente as sugando completamente.

04. Estrelas metálicas

Anã azul

É raro ver uma estrela formada somente de gás. O nosso Sol, por exemplo, tem 10 bilhões de vezes mais hidrogênio do que chumbo, mas quando cientistas encontram uma estrela muito rica em metais, eles tendem a prestar bastante atenção nelas.

As estrelas HE 2359-2844 e HE 1256-2738 possuem 10 mil vezes mais chumbo, ítrio e zircônio do que o Sol, o que as classifica como “estrelas ricas em metais pesados”.

No entanto, esses metais continuam sendo gases, devido a enorme temperatura. Boa parte desses metais, inclusive o chumbo, está em uma colossal camada de nuvens com mais de 100 quilômetros de espessura.

03. O maior sistema triplo de estrelas conhecido

Sistema triplo

Hoje em dia, descobrir um sistema triplo de estrelas já não é mais uma grande novidade. No entanto, essas estrelas geralmente estão muito próximas uma das outras.

Mas a exceção da vez fica por conta do sistema de Fomalhaut. Cientistas descobriram recentemente uma terceira estrela no que era até então considerado um sistema binário. Essa estrela está bastante isolada do resto do grupo, caracterizando o maior sistema triplo de estrelas já descoberto. A estrela, que era chamada de LP867-10, ganhou o criativo nome de Fomalhaut-C.

Embora estejam bastante distantes uma das outras, as estrelas trabalham em conjunto para aquecer sua pequena parte do universo.

02. A estrela sendo devorada por um buraco negro

A estrela sendo devorada por um buraco negro

Você já deve estar cansado de ouvir falar que os buracos negros são monstros cósmicos que engolem qualquer coisa que é atraída pela sua imensa força gravitacional. No entanto, é raro observar isso, ainda mais quando o cardápio do buraco negro é uma estrela.

A vítima da vez é Swift J1644+57, uma estrela que está sendo devorada por um buraco negro 1 milhão de vezes mais massivo do que o Sol. A descoberta foi possível porque o buraco negro emitia as características explosões de raios gama.

01. A estrela que ficou desligada por um ano e meio

Pulsar

PSR J1841-0500 é um pulsar ultra-rápido que completa uma rotação em menos da metade de um milésimo de segundo. Essa velocidade absurda faz com que os raios extremamente brilhantes de luz (conhecidos como pulsos) sejam emitidos em intervalos regulares.

Contudo, em 2009, cientistas perceberam que esses pulsos simplesmente pararam. Pulsares param regularmente, mas só por alguns minutos. Mas PSR J1841-0500 ficou “desligado” por 580 dias. Os astrônomos chegaram a acreditar que a estrela havia morrido, mas em agosto de 2011 ela reapareceu, pulsando normalmente como se nada tivesse acontecido. O que aconteceu? Bem, os pesquisadores ainda estão se fazendo essa pergunta, embora diversas teorias tenham sido levantadas.


Seja o primeiro a comentar em 10 fascinantes e curiosas estrelas universo afora!

Deixe seu comentário: