Postado em:
29 out, 2013

7 mentiras que aprendemos em algumas igrejas!

Vemos muitas vezes pessoas dizendo coisas a respeito de Deus, bíblia e tudo mais, e acreditamos sem contestar nada, duvidar não é errado, acreditar em todo vento de doutrina sim.
A seguir veja algumas coisas que vemos, ouvimos, aprendemos em algumas igrejas e muitas vezes achamos que é verdade, mas não é. Decidi fazer essa postagem pois muitas coisas aqui eu já ouvi falar e aprendi assim, de uma forma errada claro, hoje tenho a verdade revelada sobre essas mentiras que aprendemos em algumas igrejas, das quais gostaria de esclarecer. Caso queria acrescentar algo mais, só deixar nos comentários.
1- O homem tem uma costela a menos que a mulher, pois Deus tirou a costela de Adão no Éden.
Mentira, o homem não tem uma costela a menos, muitas vezes ouvimos isso, e é ilógico algo do tipo, seguindo esse raciocínio se fosse assim, um homem sem perna só faria filhos sem pernas, O homem tem 24 costelas – 12 de cada lado do tórax. O mesmo número ocorre na mulher.
2- Os animais da arca subiram em pares, um casal de cada espécie.
Meia verdade, entrou na arca um par de animais de cada espécie e sete pares de animais puros de cada espécie, pois depois seria preciso fazer sacrifícios e coisas do tipo, se fosse só um casal de animais puros, logo haveria extinção dos mesmos.
3- A Trindade de Deus citada na bíblia
O trinitarianismo não é uma doutrina Bíblica. Esta teoria não é mencionada e nem tampouco ensinada na Bíblia. O que ocorre é que os Teólogos lêem nas entrelinhas das Escrituras na busca pela trindade, torcendo os textos Escriturísticos tentando o apoio à sua teoria, mas ainda a verdade de que a doutrina da trindade não é ensinada pela Bíblia, permanece. Não somente é verdade que a Bíblia não apóia tal teoria como também o ensino da palavra de Deus é diretamente oposto à ela.
4 – O Senhor mudou o nome de Saulo para Paulo.
A verdade é que em nenhum lugar das Escrituras encontramos menção de Paulo ter mudado de nome. O que a Bíblia diz é o seguinte: “Todavia, Saulo, também chamado Paulo…” (At 13.9). Até este versículo, o apóstolo é chamado (no registro da Palavra de Deus) de Saulo; a partir de então passa a ser chamado de Paulo. E, na hora da mudança, Lucas, o autor da narrativa diz que Saulo também era chamado Paulo. Ou seja, não houve uma troca de nomes, o que de fato a Bíblia diz era que ele tinha dois nomes diferentes, fato comum para um judeu que também tinha cidadania romana, como era o caso de Paulo.
5 – Três reis magos visitaram Jesus.
Não eram três reis magos, a bíblia não diz quantos foram, a ideia de haver três é por causa de Jesus ter recebido três tipos de presentes: ouro, incenso e mirra.
6 – Noé levou 120 anos para construir a arca.
Muitos aprenderam (Incluindo eu) que Noé teria levado 120 anos construindo a arca. Há um texto que menciona este período: “Então, disse o Senhor: O meu Espírito não agirá para sempre no homem, pois este é carnal; e os seus dias serão cento e vinte anos” (Gn 6.3). Como a menção dos 120 anos aparece logo antes do dilúvio, muitos entendem e, consequentemente, ensinam (de modo equivocado) que este teria sido o tempo entre o que Deus falou e o dilúvio.
Mas quando examinamos a cronologia dos eventos bíblicos, essa conta não bate. O capítulo anterior termina mostrando a idade de Noé quando gerou seus três filhos: “Era Noé da idade de quinhentos anos e gerou a Sem, Cam e Jafé” (Gn 5.32). A Bíblia também revela a idade do patriarca quando o dilúvio veio: “No ano seiscentos da vida de Noé, aos dezessete dias do segundo mês, nesse dia romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as comportas dos céus se abriram, e houve copiosa chuva sobre a terra durante quarenta dias e quarenta noites” (Gn 7.11-12).
Se ele tinha 500 anos de idade ao gerar os filhos – e Deus fala com Noé DEPOIS disso – e tinha 600 anos quando o dilúvio ocorreu, então forçosamente temos um período inferior a 100 anos para a construção.
7 – Onan morreu por ter se masturbado (Onanismo)
Onan não se masturbou, o que aconteceu foi o coito interrompido.
Segundo a Bíblia, no livro de Levítico, Onan teria que desposar a viúva de seu irmão mais velho e dá-lhe um filho que levaria o nome e a herança de primogênito, se não viesse este filho, ele que teria o direito à herança (Lei do Levirato).
Mais ele desobedeceu e derramou o seu sêmen na terra, não dando a descendência ao nome do seu irmão o que desagradou à Deus.
O Levirato era um costume do Velho Testamento, deveria ter sido obedecido para dar continuidade da família. Simplesmente.
Analisar um pouco das coisas que ouvimos não é errado, devemos tomar cuidado com tudo que ouvimos e aceitamos, questionar não significa não ter fé.


Seja o primeiro a comentar em 7 mentiras que aprendemos em algumas igrejas!

Deixe seu comentário: