Postado em:
18 jun, 2013

10 bandidos do cinema inspirados em bandidos que existiram de verdade!

Há dois mil anos, Barrabás, um ladrão e assassino preso em Jerusalém, não esperava escapar da morte e ser libertado por uma multidão, que, segundo a Bíblia, colocou em seu lugar para ser crucificado ninguém menos do que Jesus Cristo. Se isso já foi uma surpresa e tanto para Barrabás, imagine como ele se sentiria se soubesse que um dia sua vida viraria uma superprodução cinematográfica e Anthony Quinn, um dos melhores atores de Hollywood, o interpretaria.

Esse é um exemplo de como a relação entre o cinema e as histórias de bandidos lendários ou reais rende boas produções para as telonas. A inspiração pode vir de casos como o do psicopata americano Ed Gein, um serial killer cujo modus operandi aparece em personagens ficcionais, como Norman Bates, em “Psicose” (dir. Alfred Hitchcock, 1960), ou Bufallo Bill, em “O Silêncio dos Inocentes” (dir. Jonathan Demme, 1991).

Mas, mais do que inspirar outros personagens, os foras-da-lei mais famosos vêm tendo suas biografias retratadas nas telas do cinema e da TV em produções que muitas vezes rendem excelentes filmes. Conheça a seguir quais são dez dos bandidos do cinema inspirados em criminosos que existiram de verdade.

10. Helter Skelter

Helter Skelter

Reprodução

Charles Milles Manson liderou uma comunidade hippie nos anos 60 que ficou conhecida como Família Manson. Acreditando ser uma espécie de messias ele imaginava que as canções dos Beatles eram mensagens cifradas enviadas por Deus. Na mente insana de Manson, uma delas, “Helter Skelter”, seria a indicação de que uma guerra deveria ser travada mundialmente entre brancos e negros.

Para fazer isso acontecer, ele ordenou a seus seguidores uma série de assassinatos em Los Angeles, o que incluiu a carnificina que matou a atriz Sharon Tate, esposa do cineasta Roman Polanski e grávida de oito meses. O filme “Helter Skelter” (dir. John Gray, 2004) retrata de forma chocante a barbárie e a insanidade de jovens que agem feito zumbis ao compactuarem com um psicopata disfarçado de guru espiritual.

9. Bonnie & Clyde: Uma Rajada de Balas

Bonnie e Clyde
Reprodução

Nos anos 1920, o par romântico Bonnie Parker e Clyde Barrow liderou uma quadrilha que roubou bancos e lojas e sequestrou muita gente, principalmente no Texas (EUA). A vida bandida dessa versão às avessas de “Romeu e Julieta” atraiu o interesse popular que acompanhava com grande atenção suas ações e fugas.

Conta-se inclusive que a atraente e inteligente Bonnie conseguiu liderar seu bando de foras-da-lei sem nunca ter matado ninguém. A trajetória da dupla virou filme em 1967. “Bonnie & Clyde: Uma Rajada de Balas”, com direção de Arthur Penn, tem  Warren Beaty e Faye Dunaway nos papéis centrais. Inspirado na estética da nouvelle vague francesa, Penn fez um filme que foi admirado pela crítica e pelo público. A obra recebeu oito indicações ao Oscar.

8. Monster

Monster - Desejo Assassino
Reprodução

Aileen Wuornos é considerada a primeira mulher serial killer nos Estados Unidos. Na infância ela sofreu abusos sexuais e na adolescência começou a se prostituir. Quando considerava o suicídio a única saída para sua atormentada vida, ela conheceu uma garota lésbica por quem se apaixonou.

Uma noite após ser agredida por um cliente ela o mata e inicia uma série de sete assassinatos cometidos entre o fim dos anos 80 e o começo dos 90. O filme “Monster” (dir. Patty Jenkins, 2003) mostra essa chocante e emocionante história.

No papel de Aileen está a atriz Charlize Theron, que empreendeu uma transformação física e emocional radical para interpretar a personagem. Desempenho que lhe valeu o Oscar de melhor atriz.

7. Bugsy

Bugsy
Reprodução

Benjamin “Bugsy” Siegel era nos anos 1940 o principal homem da Máfia na Califórnia (EUA). Responsável por extorquir os estúdios de Hollywood, ele conseguiu convencer os chefões mafiosos a investirem na sua ideia de construir o primeiro supercassino de Las Vegas: o Flamingo.

A ascensão de Bugsy na cosa nostra e a sua aventura de levantar o superluxuoso empreendimento em pleno deserto foi contada no filme “Bugsy” (direção Barry Levinson, 1991), com Warren Beaty no papel do mafioso.

A estória mostra também que a única a amolecer o duro coração de Bugsy foi a atriz Virginia Hill, interpretada por Annette Benning. Bugsy arriscou o dinheiro da máfia num empreendimento visionário, mas perdeu.

6. Zodíaco

Casos Policiais Misteriosos
Reprodução

O Assassino do Zodíaco foi um serial killer que atuou no final dos anos 60 no norte da Califórnia (EUA). Pelo menos sete pessoas são consideradas suas vítimas. O assassino enviava cartas com mensagens criptografadas à imprensa e até hoje a polícia não conseguiu descobrir quem foi ele.

Em 2007 foi lançada uma versão cinematográfica inspirada nos fatos que chocaram o público e desnortearam a polícia, principalmente por conta do modus operandi do serial killer. No filme “Zodíaco”, com direção de David Fincher, Jake Gyllenhaal interpreta um cartunista que acredita ter descoberto a intenção do assassino, enquanto Robert Downey Jr. faz o papel do repórter que cobre o caso.

5. Inimigos Públicos

Inimigos públicos
Reprodução

Nos anos 1930, época da Grande Depressão, não faltaram inimigos públicos nos Estados Unidos. Eles eram bandidos que agiam à la Robin Hood, como Charles “Pretty Boy” Floyd, ou que eram gangsters, como “Baby Face” Nelson. Um dos mais notórios, e considerado o inimigo público número um por um bom tempo, foi John Dillinger.

Ladrão de bancos, o que o fazia ser visto com simpatia na época, realizava assaltos com a mesma rapidez e facilidade com que escapava da polícia. Junte-se a isso suas fantásticas fugas da prisão e Dillinger tornou-se um mito. O filme “Inimigos Públicos” (direção Michael Mann, 2009), com Johnny Depp no papel central, mostra a trajetória de Dillinger e a caçada que o FBI realizou para tentar capturá-lo.

4. O Verão de Sam

Verão de Sam
Reprodução

A relação entre carteiros e cachorros sempre foi problemática. Mas neste caso ela tornou-se literalmente um inferno. David Richard Berkowitz era um carteiro em Nova York nos anos 70 que acreditava que o cachorro do vizinho estava possuído pelo demônio. Pra piorar, era um demônio que pelos latidos do cão lhe dava ordens para assassinar pessoas. Berkowitz foi um serial killer que ficou conhecido como “Filho de Sam”.

A história dessa série de assassinatos foi contada por Spike Lee no filme “O Verão de Sam” (1999). Na verdade, o diretor usa o pânico causado pelo serial killer para criar a atmosfera que  dominava uma Nova York em transição nos anos 70, em que conviviam a degradação urbana, o movimento punk, a moda da discoteca, o grande blecaute e a cultura dos negros e dos filhos de imigrantes, numa mistura muitas vezes conflituosa e intolerante, mas que precedeu a transformação da cidade.

3. Butch Cassidy

Butch cassidy e Sundance Kid
Reprodução

Bandidos fugirem para a América do Sul não é novidade nos filmes. Mas esse clichê tem um famoso precedente na vida real. No começo do século 20, dois dos mais procurados foras-da-lei ao estilo Velho Oeste rumaram para Buenos Aires (Argentina) para escapar das autoridades norte-americanas. Eles eram Butch Cassidy e Sundance Kid. Famosos ladrões de banco, gado e comboios, os dois viveram como milionários enquanto o saldo de seus últimos assaltos durou.

Após, voltaram a assaltar não só na Argentina, como também no Chile, no Peru e na Bolívia. A lendária trajetória da dupla foi mostrada no emocionante filme “Butch Cassidy” (direção George Roy Hill, 1969) com Robert Redford e Paul Newman nos papéis centrais – certamente muito mais carismáticos e divertidos do que os bandidos verdadeiros. O filme venceu quatro Oscars.

2. Prenda-me Se For Capaz

Prenda-me Se For Capaz
Reprodução

Sua história é uma das mais emocionantes e inspirou um dos filmes mais divertidos sobre vidas bandidas. Frank William Abagnale Jr. foi um estelionatário e impostor que durante cinco anos na década de 60 viveu de golpes bancários e passando-se por piloto de avião, médico, advogado e professor. Nesse período acumulou riquezas, mulheres e muitos, muitos problemas com a lei.

Perseguido, acabou preso na França, mas sua vida de bandido acabaria lhe sendo útil ainda. Expert em fraudes bancárias, Abagnale foi solto em troca de ajudar o governo norte-americano a evitar  golpes e depois montou uma consultoria que assessora os bancos contra essas fraudes monetárias.

Suas armações foram retratadas no divertidíssimo filme “Prenda-me Se For Capaz”(2001), dirigido por Steven Spielberg, tendo Leonardo di Caprio no papel de Abagnale e Tom Hanks como o agente do FBI encarregado de prendê-lo.

1. Um Dia de Cão

Um dia de cão
Reprodução

Em agosto de 1972, John Wojtowicz decidiu roubar uma agência do banco Chase Manhattan em Nova York, para conseguir dinheiro para financiar a operação de mudança de sexo de seu namorado. Com certeza ele não deve ter imaginado duas coisas naquele momento: que o assalto transformaria-se num dos episódios policiais mais dramáticos da história da cidade e num dos melhores filmes sobre a vida de um bandido.

O que era para ser um assalto de poucos minutos degringolou para um drama de 14 horas, com vários reféns e o banco cercado pela polícia, imprensa e comunidade gay. Essa história foi brilhantemente retratada no filme “Um Dia de Cão” (direção Sidney Lumet, 1975) mostrando John como uma espécie de herói da contracultura. No papel principal está Al Pacino. A obra venceu dois Oscars, de melhor filme e melhor roteiro.


Seja o primeiro a comentar em 10 bandidos do cinema inspirados em bandidos que existiram de verdade!

Deixe seu comentário: