Postado em:
03 set, 2011

Como enganar o mundo com fotografias!

Esta foto foi tirada pela primeira vez pela Reuters como uma imagem de uma “mulher morta levada pelos soldados georgianos na cidade de Gori”. Mas, surpreendentemente, a “mulher morta!” segura o braço da enfermeira.

Este homem que transborda dor e raiva está sentado exactamente no mesmo sitio em que foi tirada a foto anterior: o mesmo monte de detritos está por trás das suas costas e pedaços de metal da foto da “mulher morta” que era socorrida estão aqui exactamente como na foto anterior – mais uns pedaços não identificados de metal.


O que se supõe que representem?

Combate sujo: Fotos para provocar ódio e mais sofrimento

Recordam-se da imagem de um muçulmano bósnio supostamente enjaulado (…), num “campo de concentração sérvio?

A foto falsa filmada por uma equipa de televisão britânica converteu-se num símbolo mundial da guerra na Bósnia. Mesmo depois de se provar que o “prisioneiro” não era um prisioneiro para começar, (…), esta foto continuou a ser orgulhosamente exibida em todo o mundo até hoje como “evidência” de que os sérvios dirigiam “campos de concentração” na Bósnia Herzegovina. Inclusive, o tribunal de Haia apresenta esta imagem falsa no seu site da Internet, mostrando evidente prejuízo e cegueira voluntária, um menosprezo intencional dos direitos e da verdade em todas as suas formas.


O “engano” com imagens é tão antigo como a capacidade do homem em produzir imagens. (…)

Alguém continua a mover o “seu filho”

A legenda que a Reuters deu a esta foto foi “georgianos de pé junto ao corpo do seu filho na cidade de Gori”. A mulher olha para o céu donde, presumidamente, a morte caiu sobre o “seu filho”.

Mas para os propósitos desta foto o corpo do “filho” foi obviamente movido do local em que estava. Isto, obviamente, não foi feito para cobrir as partes nuas do corpo do homem morto, nem para permitir uma certa dignidade ao morto.


Foi feito pela luz? (Seria preciso desafiar a Reuters para procurar uma mãe – qualquer mãe – que permitisse arrastar o corpo meio nu do seu filho pela sujidade de una maneira semelhante, enquanto recebia instruções de um fotógrafo sobre onde para, para onde olhar e o que fazer de seguida).

(…)

Mas, quando vês histórias de fotos manipuladas como estas da Reuters britânica, há que ser bondoso e lembrar – podiam andar por aí a destruir nações inteiras, mas o salário de alguns depende disso, assim que – tinham que o fazer.


Mais exemplos

Em ambas as fotos, o mesmo homem encontra-se como se estivesse morto, mas em diferentes posições e em sítios diferentes.

Na foto inferior, os georgianos transportam um cadáver junto a outro que resulta ser o da primeira foto, pelo que, entre foto e foto, deram-lhe a volta.

Reparem também que o homem de negro na segunda foto é o mesmo que abraça chorando o cadáver da primeira, o curioso é que entre ambas as fotos tenha trocado de calças (novas e limpas!).


Virado para baixo, depois para cima, mas sobre a pessoa no há pó. E não são visíveis feridas. Lavado, provavelmente…

Mais palavras para quê?… :-|

 


1 Comentário em Como enganar o mundo com fotografias!

  • Fábio disse:

    “Reparem também que o homem de negro na segunda foto é o mesmo que abraça chorando o cadáver da primeira, o curioso é que entre ambas as fotos tenha trocado de calças (novas e limpas!).”

    Isso ta errado!!!

    O cara de calça azul é o mesmo que aparece sozinho na segunda foto, e com a mesma calça.
    Estava até acreditando no texto, mas agora…

  • Deixe seu comentário: